Foto: Igor Lima.

1 dia depois do Circuito Banco do Brasil

O dia começou cedo. Chegamos no Parque dos Atletas (a.k.a. Cidade do Rock) antes das 16 horas. Acompanhado pelo fotógrafo da Máquina do Tempo, Igor Lima – olha só! – conferimos a etapa final carioca da Copa Brasil de Skate Vertical. Irado, ainda mais por ter nos livrado de acompanhar o show chato pra cacete do Rodrigo Amarante.

Logo depois presenciamos o Detonautas Roque Clube fazendo uma boa apresentação. Levantaram bem a galera, mantendo um ritmo quente e realmente aquecendo para o palco principal. Foram ousados em arriscar uma versão de Killing in the Name do Rage Against the Machine. Animaram, a galera curtiu, mas não bancaram o que a música pede. Mas, no final do show teve gente exigindo que eles estivessem no palco Circuito.

Foto: Igor Lima.

Falando nele, este palco foi aberto pelos Raimundos. E o que falar de um show que abriu com Mulher de Fases e fechou em um Puteiro em João Pessoa?. Digão foi extremamente simpático, brincou muitas vezes com a galera e ainda deu uma zoada no Chad Smith. A banda tocou grandes clássicos, o público reagiu formando uma roda gigante e cantando junto. Curtindo cada segundo.

Foto: Igor Lima.

Depois o Palco Circuito foi ocupado pelos Titãs. Neste momento senti um estranhamento em relação a distância do público com a banda, em uma apresentação que teve Cabeça Dinossauro, Polícia, Desordem, Bichos Escrotos e AA UU. O ponto alto de interação foi Epitáfio, que é uma música boa, mas o que estava acontecendo ali foi um resgate de um álbuns mais porradas da banda e o público mal pulou. Cantou, mas não pulou. Roda não foi formada e alguns adolescentes perguntaram que música é essa (Bichos Escrotos). É uma geração formada pelo acústico?

Foto: Igor Lima.

Essa mesma geração reagiu muito mal ao show dos Yeah Yeah Yeahs. No lugar de ouvir e conhecer a banda, o pessoal vaiava e fazia piadinhas com a apresentação. No fim, eles fizeram um bom show, embora o som destoasse com a porradaria que tinha rolado antes e não conseguiu ser um bom aquecimento para a grande apresentação do dia.

Foto: Igor Lima.

Quando o palco foi invadido pelo Red Hot Chili Peppers, eu (perdoe o trocadilho)  viajei no tempo. Em 1993, exatamente vinte anos atrás, quando eu tinha 16 anos, vi a primeira apresentação dessa banda aqui no Rio de Janeiro. O clima era o mesmo, mas a banda era mais pesada – bem mais pesada. Hoje o público foi praticamente renovado, ainda formado em sua maioria por adolescentes e jovens adultos, e o que posso dizer é que nestas duas décadas, o quarteto se manteve atualizado, muito atualizado. Todas as músicas foram cantadas frase a frase, todos sabiam juntos o que estava acontecendo ali. O funkeado embalou uma hora e meia de show ao som de Can’t Stop, Dani California, Under the Bridge, Universally Speaking e outras clássicas e mais recentes.

Foto: Igor Lima.

Flea, como sempre, foi responsável em se conectar com o público. Falou, brincou e até entrou plantando bananeira no palco. Josh estava entrosado e com uma energia no mesmo ritmo dos californianos, pulava, agitava e acompanhou o baixista em diversos momentos de loucura. Chad Smith deu um show com as baquetas e Anthony Kiedis fez o seu papel, mas os outros estavam tão pra cima que até mesmo o apagou um pouco. O único ponto fraco de toda a apresentação foi o telão que, por causa dos efeitos aplicados em cima dos artistas, sofria um delay chato e facilmente notado até pelos olhares mais desatentos.

Como saldo final, foi um grande dia, muito divertido. A organização do Circuito Banco do Brasil está de parabéns pelo Line Up, ideia de unir Skate e arte e toda a parte técnica. O puxão de orelha fica pra segurança e controle de trânsito da multidão. O “Parque dos Atletas” não é um lugar fácil de se chegar e sair e vi muitas pessoas tendo dificuldade para conseguir fazer isso, diferente do Rock in Rio.

Clique aqui e veja todas as fotos que o Igor fez deste dia.

Pra aplacar curiosidades, o que o RHCP tocou:

Jam
Can’t Stop
Dani California
Otherside
Factory of Faith
Snow (Hey Oh)
Universally Speaking
Awesome Jam
I Like Dirt
The Adventures Of Rain Dance Maggie
Blood Sugar Sex Magik
Higher Ground
Dosed & Under the Bridge
Did I Let You Know
Jam
Californication
By the Way

– BIS SINCERO –

Jam
Suck My Kiss
Meet Me at the Corner
Give It Away